Apanhador Só   Meio que tudo é um




Após um hiato de quase quatro anos, finalmente a Apanhador Só apresenta seu novo disco. Meio que tudo é um é o resultado do financiamento coletivo iniciado em 2015 em que a banda rodou o país se apresentando na casa dos fãs.

Durante o processo tiveram que lidar com o furto de instrumentos às vésperas de um show na cidade de Santa Maria/RS. Ainda assim, a turnê aconteceu e proporcionou shows inesquecíveis pela proximidade e receptividade entre todos os envolvidos.

Particularmente, presenciei um show do projeto na Minor House em Porto Alegre/RS em que executaram as músicas do ‘Acústico Sucateiro’ e confirmo que a maneira como banda e público se integraram é indescritível.

A sinergia existente era tão grande que os vizinhos saíram às janelas para acompanhar, mesmo que de longe, aquele evento tão peculiar. Das experiências em shows, essa foi uma das mais marcantes que passei nos últimos tempos.

Meio que tudo é um

Após o término da turnê, venderam o carro em que rodaram o país e se refugiaram na cidade de Osório/RS entre novembro do ano passado e abril deste ano para gravar Meio que tudo é um. O álbum foi produzido pela banda e pelo Diego Poloni, quarto elemento do grupo e responsável por quase tudo de bom que surge no cenário musical de Porto Alegre.

Meio que tudo é um aponta para um caminho mais reflexivo e intimista da banda. Talvez a reclusão para produção tenha influenciado no clima que permeia o disco. Belas harmonias, tanto vocais quanto instrumentais e a reconhecida qualidade na concepção dos arranjos.

Há muito mais experimentações sonoras que explicitam o amadurecimento da banda. Meio que tudo é um não é álbum simples, possui diversas nuances e flerta com ritmos e sensações a cada compasso. É uma obra fechada composta por diversas vias de mão dupla, sempre há uma nova possibilidade, uma descoberta dentro de cada acorde ou dissonância.

É o retrato de uma banda segura e consciente de sua grandeza.

Ficha Técnica

Produzido por Diego Poloni, Alexandre Kumpinski, Felipe Zancanaro e Fernão Agra

“Pelos Olhos do Mundo” coproduzida por Luiz Gabriel Lopes “Metropolitano” co-produzida por Guilherme Ceron

Mixado por Diego Poloni, Alexandre Kumpinski, Felipe Zancanaro e Fernão Agra

Masterizado por Alexandre, Felipe e Fernão com a cumplicidade de Felipe Tichauer – Red Traxx Mastering

Produção executiva: Tito, Felipe e Fernão

Produção de base no Morro da Borússia: Henrique Schaefer, Janaina Spode e Tito

Quer saber mais sobre o que acontece no universo da música independente? Curta a página do Frequênciano Facebook e acompanhe nosso podcast no Soundcloud

http://www.deveserisso.com.br/blog/wp-content/uploads/2017/08/apanhador-só.jpghttp://www.deveserisso.com.br/blog/wp-content/uploads/2017/08/apanhador-só-150x150.jpgIkie ArjonaMusica
Após um hiato de quase quatro anos, finalmente a Apanhador Só apresenta seu novo disco. Meio que tudo é um é o resultado do financiamento coletivo iniciado em 2015 em que a banda rodou o país se apresentando na casa dos fãs. Durante o processo tiveram que lidar com o furto...