Breaking Bad

Quando pensamos no Walter White, Jesse Pinkman ou Gus Fringe, lembramos com um carinho recente. Mas, Breaking Bad foi lançado há exatos 10 anos! Por saber como os fãs se sentem – sou viúva até hoje – decidi compartilhar um pouquinho do livro lançado pela Darkside books sobre Breaking Bad.

“Nenhum filme norte-americano do século XXI se equiparou às conquistas de Breaking Bad. Nada no cinema teve a mesma escala e a mesma grandeza, ou encontrou uma beleza que vem tão organicamente da sua narrativa” – David Thomson, autor do livro.

Como grande fã, eu concordo com cada palavra dita pelo David. Breaking Bad ganhou fãs por vários motivos, mas um dos principais foram suas músicas muito bem casadas. Quem não se lembra de Baby Blue?

Então, compartilharei um trecho da entrevista com Dave Porter, um dos responsáveis por essa encantadora trilha sonora.


Influências e Temas

, Breaking Bad | Há dez anos, o mundo – das séries – jamais seria o mesmo!

Você passou muito tempo no deserto?

Na verdade, não, fora algumas poucas jornadas solitárias à Joshua Tree. Mas isso tem a ver com a forma como você se sente em relação ao deserto. O que eu gosto na utilização do deserto na série é que ele parece tão bonito e ao mesmo tempo tão inóspito e alienígena. É uma forma parecida com a que vejo o oceano. É um convite fácil à autoanálise pois você é forçado a fazer isso por causa da magnitude que rodeia.

Às vezes a música parece ficção científica.

Não sei se vai tão longe, mas acho que um dos meus papéis no programa é ser inquietante, inusitado. Uma das formas que usei para produzir tal efeito foi usar muitos instrumentos que normalmente não são usados na tv ou combinar instrumentos que você não acharia que encontraria juntos.

Qual foi o personagem mais difícil de entrar na cabeça?

Jesse provavelmente foi o mais difícil porque não queríamos que fosse o estereótipo do jovem que deu errado. Para ele, tentei usar usar tons e batidas sutilmente mais modernos bem como guitarras e pianos elétricos. E tudo estava dentro da minha ideia de fazer tudo ser meio fora de ordem.

Os atores influenciam a forma como você trabalha?

Eu me tornei um observador externamente hábil da testa do Bryan Cranston em busca da ruga à direita para saber quando sua música deveria começar, ou perito em identificar o exato momento de fadiga ou fraqueza do personagem de Dean Morris (Hank). Eles não nos dizem o que deveria ser feito, mas deixam um caminho bem claro.

, Breaking Bad | Há dez anos, o mundo – das séries – jamais seria o mesmo!

Outra característica marcante de Breaking Bad é o uso primoroso das cores. No trabalho de David, ele faz uma ótima análise sobre isso, explicando os motivos das cores nos personagem e temporadas.
Segue apenas um gostinho para dar saudades.


Uso e significado das cores

Walt começa sua jornada usando cores neutras, mas quando ele decide cozinhar metanfetamina, aparecem tons mais vivos de verde (ecoando o vestido verde vibrante da mulher no lava-rápido) Enquanto a série progride, verdes e azuis mais saturados entram em sua paleta, um identificação subconsciente com Skyler, finalmente escurecendo rumo ao negro na quarta temporada. Até “Felina”, onde vemos uma figura fantasmagórica e sepulcral.

Isso tudo torna ainda mais evidente o cuidado e dedicação que Breaking Bad teve. Portanto, nada mais justo que terminar essa singela homenagem com o Vince Gilligan falando sobre a motivação para a criação de Walter.

No começo, eu achava que seria interessante pegar um cara como eu – alguém que está tentando se dar bem na vida machucando o mínimo de pessoas possível -, pegar essa pessoa é fazê-la atravessar uma fase pesada e lhe dar motivo para que se tornasse um criminoso. Porque os criminosos me fascinam. Eu não quer ser um deles, mas sou fascinado por pessoas que têm a habilidade de fazer coisas que são impossíveis. – Vince Gilligan

Nesses 10 anos posso ter uma certeza: Breaking Bad é uma das séries que, junto a Twin Peaks e Os Sopranos, mudaram a industria do entretenimento para sempre. Todos sabemos que ela tem um roteiro cirúrgico, uma fotografia inovadora e atuações marcantes, mas o que realmente a tornou um fenômeno foi o extremo cuidado com todos os pequenos detalhes como você pode ver ao longo do texto.

E aí, o que você acha da série Breaking Bad? Conte para nós nos comentários!

https://www.deveserisso.com.br/blog/wp-content/uploads/2018/01/breaking-bad.jpghttps://www.deveserisso.com.br/blog/wp-content/uploads/2018/01/breaking-bad-150x150.jpgMilton SallesFilmes e Seriados
Quando pensamos no Walter White, Jesse Pinkman ou Gus Fringe, lembramos com um carinho recente. Mas, Breaking Bad foi lançado há exatos 10 anos! Por saber como os fãs se sentem - sou viúva até hoje - decidi compartilhar um pouquinho do livro lançado pela Darkside books sobre Breaking...