Cena da peça Os 3 Mundos




Em que consiste a fé e onde começam o fanatismo e a loucura? Por que é tão difícil a convivência pacífica entre crenças diversas? “Os 3 Mundos”, primeira obra teatral dos aclamados quadrinistas Fábio Moon e Gabriel Bá, é um espetáculo multimídia de ação que mescla teatro, cinema, HQ e Kung-Fu.

No palco, duas telas exibem elementos cenográficos com os quais os atores interagem, proporcionando ao público a sensação de assistir a uma animação em 3D. Inédita no Brasil, a técnica faz parte do espetáculo Os 3 Mundos, primeira peça escrita pelos premiados quadrinistas Fábio Moon e Gabriel Bá, que estreia dia 26 de agosto no Teatro do Sesi-SP, às 19h, com entrada gratuita.

O enredo de Os 3 Mundos se passa em um universo fictício, em um futuro aparentemente distante, habitado por dois grupos antagônicos. De um lado, o Culto da Serpente, liderado por Lachesis (Paula Picarelli), é formado por praticantes de kung fu que vivem no subsolo do metrô. Do outro, Acônito (vivido por Thiago Amaral) lidera o Mundo das Máscaras por meio da força e do medo. Os dois líderes entram em confronto ao defender círculos e crenças necessárias para a manutenção da ordem entre seus seguidores (Tamirys Ohanna, João Paulo Bienemann, Alice Cervera, Artur Volpi, Rafael Érnica e Luciene Bafa).

O diretor Nelson Baskerville (Prêmio Shell de Direção de 2011) reforça a distinção entre as duas personagens principais da peça: “Lachesis parece muito com uma personagem da DC por viver esse contexto mais sombrio e sôfrego. Ela chora pela pessoa que acabou de matar porque sente que cumpriu com sua obrigação. Já Acônito carrega a hipocrisia do mundo, tem consciência plena da sua maldade”.

Para dar o tom pós-apocalíptico e inserir a estética das histórias em quadrinhos no teatro, o Estúdio BijaRi (Prêmio Shell 2016 pelo cenário de Adeus Palhaços Mortos) ficou responsável pela animação e projeção. Maurício Brandão, que coordenou esta frente da montagem, comenta sobre o desafio de criar um cenário que tem relação direta com cada ação das personagens. “É um híbrido de teatro, cinema e histórias em quadrinhos. Toda operação das animações acontece em tempo real para garantir a sincronia dos movimentos. Por termos uma caixa cênica não tradicional, é possível criar planos, recortes e animações não praticadas até agora no teatro, por exemplo”.

Para o diretor, as distopias aproximam o público da ideia de que a destruição do mundo como o conhecemos não é uma ideia tão distante assim. “Estamos lidando com uma linguagem próxima das histórias em quadrinhos, então há exageros e emoções exacerbadas, mas existe ali uma potencialização do que já estamos fazendo enquanto sociedade. O mundo pode sim ser devastado pelo dinheiro ou por radicalismos religiosos, por exemplo”, afirma Nelson.

Na peça, não faltam referências da cultura pop para a composição de cenário e figurino. Maurício Brandão, do BijaRi, destaca o clima expressionista da cidade retratada no Mundo das Máscaras, bastante inspirada na cidade futurista de Metrópolis, filme de 1927, dirigido por Fritz Lang. A história em quadrinhos Maus: A História de um Sobrevivente, ambientada no período da Segunda Guerra Mundial, que retrata os judeus como ratos e nazistas como gatos, também integra o rol de referências do estúdio.

Outra fonte de inspiração são os filmes do ator e lutador chinês Bruce Lee (1940 – 1973) na composição do figurino e também nos movimentos de artes marciais aplicados nas coreografias criadas por Luis Pelegrini.

Sobre uma possível moral ou mais informações sobre o terceiro mundo, Paula prefere deixar a cargo do público a reflexão a respeito do que as civilizações humanas têm feito até agora. “As histórias que contamos sobre o passado também são ficções e nos aliamos àquelas pelas quais temos afeto”, finaliza.

Serviço:

  • Temporada: 26 de agosto a 9 de dezembro de 2018
  • Horários: quinta a sábado, às 20h e domingo, às 19h
  • Local: Teatro do Sesi-SP – Centro Cultural Fiesp (Avenida Paulista, 1313 – em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)
  • Classificação Indicativa: 14 anos
  • Capacidade: 456 lugares
  • Duração: 80 minutos
  • Grátis. Reservas antecipadas de ingressos on-line pelo site www.centroculturalfiesp.com.br. Ingressos remanescentes são distribuídos nos dias do espetáculo, conforme horário de funcionamento da bilheteria (quinta a sábado, das 13h às 20h30, e aos domingos, das 11h às 19h30).
  • Agendamentos escolares e de grupos: ccfagendamentos@sesisp.org.br
https://www.deveserisso.com.br/blog/wp-content/uploads/2018/08/espetaculo-os-3-mundos.jpghttps://www.deveserisso.com.br/blog/wp-content/uploads/2018/08/espetaculo-os-3-mundos.jpgLeonardo Pereira CruzDicas
Em que consiste a fé e onde começam o fanatismo e a loucura? Por que é tão difícil a convivência pacífica entre crenças diversas? 'Os 3 Mundos', primeira obra teatral dos aclamados quadrinistas Fábio Moon e Gabriel Bá, é um espetáculo multimídia de ação que mescla teatro, cinema, HQ...